Opinião de outros

Ainda que eu tentasse, não conseguiria; mesmo que a pistolagem dos patrulheiros me fizesse alvo, eu não me recusaria. William Waack é homem de rara inteligência, num país em que a profundidade de um pires tem bastado, era a consciência mais refinada a exemplificar o paradoxo reinante no grupo Globo. Sim, a empresa que demite um dos mais brilhantes jornalistas brasileiros é a mesma que estimula a candidatura presidencial do “brilhante” Luciano Huck. Eis, abaixo, originalmente publicada na Folha de São Paulo, a versão de William Waack sobre os fatos

Se os rapazes que roubaram a imagem da Globo e a vazaram na internet tivessem me abordado, naquela noite de 8 de novembro de 2016, eu teria dito a eles a mesma coisa que direi agora: “Aquilo foi uma piada —idiota, como disse meu amigo Gil Moura—, sem a menor intenção racista, dita em tom de brincadeira, 

num momento particular. Desculpem-me pela ofensa; não era minha intenção ofender qualquer pessoa, e aqui estendo sinceramente minha mão.”

Sim, existe racismo no Brasil, ao contrário do que alguns pretendem. Sim, em razão da cor da pele, pessoas sofrem discriminações, têm menos oportunidades, são maltratadas e têm de suportar humilhações e perseguições.

Durante toda a minha vida, combati intolerância de qualquer tipo —racial, inclusive—, e minha vida profissional e pessoal é prova eloquente disso. Autorizado por ela, faço aqui uso das palavras da jornalista Glória Maria, que foi bastante perseguida por intolerantes em redes sociais por ter dito em público: “Convivi com o William a vida inteira, e ele não é racista. Aquilo foi piada de português.”

Não digo quais são meus amigos negros, pois não separo amigos segundo a cor da pele. Assim como não vou dizer quais são meus amigos judeus, ou católicos, ou muçulmanos. Igualmente não os distingo segundo a religião —ou pelo que dizem sobre política.

O episódio que me envolve é a expressão de um fenômeno mais abrangente. Em todo o mundo, na era da revolução digital, as empresas da chamada “mídia tradicional” são permanentemente desafiadas por grupos organizados no interior das redes sociais.

Estes se mobilizam para contestar o papel até então inquestionável dos grupos de comunicação: guardiães dos “fatos objetivos”, da “verdade dos fatos” (a expressão vem do termo em inglês “gatekeepers”). Na verdade, é a credibilidade desses guardiães que está sob crescente suspeita.

Entender esse fenômeno parece estar além da capacidade de empresas da dita “mídia tradicional”. Julgam que ceder à gritaria dos grupos organizados ajuda a proteger a própria imagem institucional, ignorando que obtêm o resultado inverso (o interesse comercial inerente a essa preocupação me parece legítimo).

Por falta de visão estratégica ou covardia, ou ambas, tornam-se reféns das redes mobilizadas, parte delas alinhada com o que “donos” de outras agendas políticas definem como “correto”.

Perversamente, acabam contribuindo para a consolidação da percepção de que atores importantes da “mídia tradicional” se tornaram perpetuadores da miséria e da ignorância no país, pois, assim, obteriam vantagens empresariais.

Abraçados a seu deplorável equívoco, esquecem ainda que a imensa maioria dos brasileiros está cansada do radicalismo obtuso e primitivo que hoje é característica inegável do ambiente virtual.

Por ter vivido e trabalhado durante 21 anos fora do Brasil, gosto de afirmar que não conheço outro povo tão irreverente e brincalhão como o brasileiro. É essa parte do nosso caráter nacional que os canalhas do linchamento —nas palavras, nesta Folha, do filósofo Luiz Felipe Pondé— querem nos tirar.

Prostrar-se diante deles significa não só desperdiçar uma oportunidade de elevar o nível de educação política e do debate, mas, pior ainda, contribui para exacerbar o clima de intolerância e cerceamento às liberdades –nas palavras, a quem tanto agradeço, da ministra Cármen Lúcia, em aula na PUC de Belo Horizonte, ao se referir ao episódio.

Aproveito para agradecer o imenso apoio que recebi de muitas pessoas que, mesmo bravas com a piada que fiz, entenderam que disso apenas se tratava, não de uma manifestação racista.

Admito, sim, que piadas podem ser a manifestação irrefletida de um histórico de discriminação e exclusão. Mas constitui um erro grave tomar um gracejo circunstanciado, ainda que infeliz, como expressão de um pensamento.

Até porque não se poderia tomar um pensamento verdadeiramente racista como uma piada.

Termino com um saber consagrado: um homem se conhece por sua obra, assim como se conhece a árvore por seu fruto. Tenho 48 anos de profissão. Não haverá gritaria organizada e oportunismo covarde capazes de mudar essa história: não sou racista. Tenho como prova a minha obra, os meus frutos. Eles são a minha verdade e a verdade do que produzi até aqui.

13 Comentários

  1. I’ve been exploring for a little for any high quality articles or blog posts on this kind of area .
    Exploring in Yahoo I at last stumbled upon this website.

    Reading this information So i’m satisfied
    to show that I have a very just right uncanny feeling I found out exactly what I needed.
    I most no doubt will make certain to don?t disregard
    this web site and provides it a look regularly.

  2. You need to be a part of a contest for one of the greatest blogs on the net.
    I will highly recommend this site!

  3. You actually make it appear so easy together with your presentation however I find this topic to be actually something that I think I would
    never understand. It sort of feels too complex and extremely wide for me.
    I am looking forward on your subsequent post, I will try to
    get the hold of it!

  4. Descargar facebook
    I do not even know how I ended up here, but I thought this post was great.
    I do not know who you are but definitely you are going to a famous blogger if you aren’t already 😉
    Cheers! Descargar facebook

  5. Sweet blog! I found it while searching on Yahoo News. Do you have any tips
    on how to get listed in Yahoo News? I’ve been trying for a while but I never seem to get there!
    Appreciate it

  6. This is a topic that’s close to my heart… Thank you!
    Exactly where are your contact details though?

  7. Thanks for a marvelous posting! I seriously enjoyed reading it, you can be
    a great author.I will make sure to bookmark your blog
    and will eventually come back very soon. I want to encourage
    yourself to continue your great posts, have a nice weekend!

  8. Hey just wanted to give you a quick heads up.

    The text in your content seem to be running
    off the screen in Opera. I’m not sure if this is a format issue or something to do
    with web browser compatibility but I thought I’d post to
    let you know. The design look great though! Hope you get the problem solved soon. Many thanks

  9. I am extremely impressed together with your writing abilities as neatly as with the layout on your weblog.
    Is that this a paid theme or did you modify it
    yourself? Anyway stay up the nice quality writing, it’s uncommon to look a great blog like this one these days..

  10. Someone essentially lend a hand to make seriously posts I’d state.
    This is the very first time I frequented your web page and so far?
    I surprised with the analysis you made to create this actual post amazing.
    Great job!

  11. Sling tv coupons and promo codes for november 2018
    Hi there Dear, are you truly visiting this web site regularly,
    if so after that you will without doubt obtain pleasant knowledge.
    Sling tv coupons and promo codes for november 2018

  12. I’m not sure where you are getting your information, but good topic.
    I needs to spend some time learning more or understanding more.
    Thanks for magnificent information I was looking for this
    information for my mission.

  13. Hi i am kavin, its my first occasion to commenting anywhere, when i read this article i thought i could also make comment due to this brilliant piece of writing.

Deixe uma resposta