Política do Espírito Santo

Amaro Neto sapecou fogo no circo político capixaba!

A coragem é qualidade rara na era da covardia e de certa servidão voluntária. Por isso mesmo deve ser elogiada quando eventualmente surge na paisagem política.

O deputado Amaro Neto está demonstrando isso. Que isso não se confunda com o juízo sobre o mandato que o parlamentar em questão exerce.  

Amaro Neto, para se tornar um parlamentar ruim deve melhorar muito. Ele é a personificação da mediocridade. É a baixeza influente. É o encontro incestuoso do espetáculo da vida com a descrença na política enquanto ciência da mediação pacífica dos conflitos coletivos.

O mandato de Amaro Neto é menos produtivo que o semiárido nordestino, que conheço tão bem. Seu eleitor, entretanto, está pouco se lixando para isso. No Brasil, o número dos que associam política a algo sério e produtivo está cada vez menor.

Amaro Neto se deu conta do próprio tamanho. O garçom de cadáveres deu um nó no plano político do gigante de Guaçuí. Sim, o palhaço incendiou o circo político capixaba, e ainda rasgou o último fiapo que escondia a face de um democrata de pequenas comportas, que perdeu uma eleição mesmo sem disputar.

Ao se retirar do processo sucessório, por absoluta convicção de derrota, Paulo Hartung julgou que no seu grupo haveria uma disputa pela vaga deixada por ele. Armou uma arapuca. Mas Amaro Neto, bicho novo na arca de Hartung, viu que algo estava errado.

Na prática, o gigante de Guaçuí tentou improvisar. Mas claro que sempre fingindo que tudo fazia parte de um plano cuidadosamente arquitetado.

Na cabeça de Hartung, sua desistência despertaria o interesse de Amaro Neto em ser candidato ao governo, e isso levaria Ricardo Ferraço a disputar o senado com possibilidades objetivas de reeleição. Amaro seria sapecado numa candidatura ao governo, enquanto Ricardo Ferraço reduziria a margem de risco de derrota.

Amaro Neto, de idiota mesmo só tem o apresentador. É seu papel. Percebeu que não há registro de que alguém com uma candidatura ao senado virtualmente vitoriosa tenha desistido em favor de uma disputa ao governo cuja derrota fosse certa.  

Se os capixabas elegerem Amaro Neto, é certo que nos oito anos em que estiver no senado poderá disputar a prefeitura de Vitória e/ou o governo do estado, sem risco de ficar sem mandato. Afinal, um político sem mandato caminha ao lado do vale da sombra da morte. Sem mandato, poucos ressuscitam.

Logo, Amaro Neto parece ter deixado claro que se a população capixaba não quer mais Hartung, isso é problema de Hartung. Amaro não se submeteu a um processo suicida para tentar juntar os últimos cacos de um grupo político cujo líder só consegue pensar em si mesmo.

Sim, Amaro Neto é de quebrada. Por isso, sapecou fogo no circo!

2 Comentários

  1. Renato

    Bom seria dar uma bela sapecada em todos eles!

  2. Paula Tejano

    Excelente matéria!

Deixe uma resposta