Cultura, Política

No mercado de consciências, nem todas estão à venda! Ou uma leitura necessária a partir de uma tragédia também capixaba!

“No Brasil, a importância social faculta descumprir horários e compromissos, de modo que, quanto mais importante socialmente, mais atrasado”.  A frase é do Antropólogo Roberto Damatta.

 

Desde que a li pela primeira vez, há uns belos anos, fiquei encantado com uma reflexão, que me parecia tão profunda quanto original. De lá para cá, o tempo e os livros se encarregaram de fazer com que meu interesse só aumentasse em relação ao estudo sobre o comportamento do brasileiro, sua cultura tão fortemente marcada pela busca de facilidade, as relações promíscuas de compadrio, que infestam a vida pública e tornam quase inexistente a tão necessária fronteira que deve separar os espaços públicos daqueles marcados por interesses privados. É daí o interesse pelo pensamento de Roberto Damatta.

Ele, com razão, vê o Brasil como uma fonte inesgotável para a pesquisa científica, em grande medida, porque os vícios que nos condenam ao atraso, parece, a cada dia renovam sua corte de defensores, a despeito de pontuais avanços que merecem ser celebrados. Com quase duas décadas de trajetória acadêmica na Universidade de Notre Dame, nos Estados Unidos, Damatta parece ser olhado atravessado pela academia brasileira, que, em muitos casos, ainda dedica mais tempo à militância político-partidária que à pesquisa. Adiante.

Autor de clássicos de leitura indispensável a quem se propõe a falar de Brasil para além dos festivais de butecos e fora do mosaico de cores partidárias, Damatta nos brinda agora com uma reflexão novamente estimulante. Com o livro FÉ EM DEUS E PÉ NA TÁBUA, o olhar do antropólogo se volta para a violência no trânsito brasileiro, que, na prática, é apenas uma variante de formas brutais de violência urbana. Mas que, pelas lentes de Damatta, traduz uma profunda dificuldade que nós, brasileiros, temos com os ambientes em que se estabele a exigência de igualdade perante normas legalmente constituídas, no caso específico: o trânsito. O ponto de partida para a conclusão de Damatta é uma pesquisa feita no trânsito do Espírito Santo, também campeão em outras modalidades de crime. Quem leu também  O que faz o brasil, Brasil?, do próprio Damatta, sabe que se trata de um pensador independente.

Para o pesquisador, nossa consciência aristocrática reproduz, no ambiente do trânsito, uma versão caricata do “você sabe com quem está falando?”, quando, por exemplo, alguém que está num “carrão” se acha no direito de não respeitar uma norma legalmente instituída, que o obriga a parar no semáforo e, com uma simples noção de obediência, evitar uma tragédia. Diz o antropólogo “Qualquer legislação está condenada ao fracasso caso a sociedade que a recebe dela não necessite ou não esteja preparada para suas inevitáveis implicações disciplinadoras (…)”. “A mudança liberta, mas inevitavelmente fecha espaços e diz um desagradável ‘não pode’! a comportamentos antigos, bem estabelecidos e tomados pela população que os pratica como normais, racionais ou naturais”!

De acordo com Damatta, nossa elite resistiu o quanto pôde às carruagens, e noutro momento, à chegada dos trens e dos bondes, que tinham um extraordinário potencial democratizador. Para a consciência aristocrática, era necessário mesmo o transporte que resgatasse o peso simbólico e individualizante da “cadeirinha”: “(…) essa cadeirinha era particular e os escravos que a transportavam (em seus lombos) vestiam resplandescentes libré. As criadas da senhora caminhavam atrás da cadeirinha (…)”.

No país do “você sabe com quem está falando?” o sentido das palavras se altera com constrangedora facilidade. “o cão do senador tem mais direitos que o do cidadão anônimo”, diz. Ou seja, não é apenas a raça que diferencia os cães, são seus donos!

No País de Lula, Sarneys, Barbalhos, Malufs e similares o conceito de pessoa é caracterizado pelo seu pertencimento a um feixe vivo de relações sociais. Ou seja, diz o antropólogo, “a pessoa vai além de si mesma. Ela projeta uma sobra nos espaços onde ela atua” É justamente a tal “sombra” que precisa ser removida da pele da pátria. É a esse desafio que o pensamento de Damatta nos chama.

O livro descortina um Brasil que sabe ser cruel. E, de forma pusilâmine, trata como um dado da paisagem as 40 mil vidas que se vão a cada ano pelas estradas da morte. FÉ EM DEUS E PÉ NA TÁBUA apresenta um quadro que não será revertido apenas com obras de infra-estrutura (embora claramente necessárias). O livro abre uma fresta desapaixonada por meio da qual conseguimos ver saídas do obscurantismo que domina boa parte das discussões da vida brasileira, entre as quais se inclui o trânsito. É leitura pra ontem!

 Por Maurício Reis de Sousa

9 Comentários

  1. Thanks for finally talking about >No mercado de consciências, nem
    todas estão à venda! Ou uma leitura necessária a partir
    de uma tragédia também capixaba! – Mauricio Sousa <Loved it!

  2. I love your blog.. very nice colors & theme. Did you make
    this website yourself or did you hire someone to do it for
    you? Plz reply as I’m looking to construct my own blog and would like to
    find out where u got this from. many thanks

  3. With havin so much content do you ever run into
    any problems of plagorism or copyright infringement?
    My blog has a lot of completely unique content I’ve either written myself or outsourced but it looks like a lot of it
    is popping it up all over the web without my agreement.
    Do you know any ways to help protect against content from being ripped off?

    I’d truly appreciate it.

  4. Quality content is the crucial to be a focus for the visitors to visit the website, that’s
    what this website is providing.

  5. Quest bars cheap fitnesstipsnew1 quest bars cheap 516999410492780544 quest bars cheap
    Its such as you read my thoughts! You appear to understand a lot approximately this, such as you wrote the e book in it or something.
    I think that you simply can do with a few p.c. to force the message house a little bit, but instead of that,
    that is magnificent blog. A great read. I will certainly be back.
    Quest bars cheap fitnesstipsnew1 quest bars cheap
    516999410492780544 quest bars cheap

  6. Hi Dear, are you genuinely visiting this site regularly,
    if so after that you will absolutely obtain pleasant experience.

  7. Hello mates, good piece of writing and good arguments commented at this
    place, I am truly enjoying by these.

  8. I loved as much as you’ll receive carried out right here.
    The sketch is tasteful, your authored material stylish.
    nonetheless, you command get got an edginess over that you wish be delivering the following.
    unwell unquestionably come further formerly again as exactly the same nearly a lot often inside case you
    shield this increase.

  9. This paragraph provides clear idea for the new viewers of blogging,
    that genuinely how to do blogging.

Deixe uma resposta