Perfil de Policial

William Alcântara, um Policial Multifacetado!

Um amigo que faz declaração pública sobre outro pode incorrer em suspeição. É fato.  Afinal, amizade não permite a impessoalidade da análise. Eu sei. Mas um amigo que omite o que pensa sobre outro incorre em covardia. Entre a suspeição pela declaração pública e a covardia de escondê-la, abrigo-me entre os suspeitos. Com orgulho.

O Policial que aparece na imagem é o agora Cabo William. Escondido numa farda é “apenas” um policial. Um correr de olhos sobre sua trajetória indica muito mais. No dia do aniversário da PMES, 06 de abril, William foi homenageado como destaque operacional entre mais de 10 mil policiais da ativa. Não é um feito qualquer.

Afinal, o péssimo salário que os policiais capixabas recebem felizmente não foi capaz de subtrair o ânimo de quem coloca o Espírito Santo acima de juízos sobre ocupantes de poderes. Sim, homens passam; instituições permanecem! 

O policial que aparece na foto esteve nas principais ocorrências da PMES na área da Serra ao longo do ano de 2017 e início de 2018. Não seria exagero afirmar que a quantidade de entorpecente que sua guarnição apreendeu no período seria capaz até de impactar a sagrada Lei da oferta e da procura. Sim, menos maconha na rua eleva o preço. Dizem que até na UFES a danada ficou mais rara. Não sei. Mas numa única ocorrência foram mais de 750 Kg da Cannabis, cujo destino seria também a UFES. Isso para não falar de Crack, Cocaína e, principalmente, armas de fogo. 

O policial em questão, se visto exclusivamente pela ótica da atividade policial, é apenas um excelente profissional. Entretanto, o que poucos sabem é que sua dedicação absurda ao trabalho policial é apenas um dos terrenos nos quais sua inteligência se manifesta. Ele faz parte do que aqui já foi denominado “Bando de loucos”. No entanto, sua loucura também lhe permite incursão em outros domínios. 

O policial que recebe a homenagem é professor de história, formado pela UFES, onde atualmente busca sua segunda graduação, agora em Cinema. É um profundo conhecedor da área de publicidade, fotografia, etc. Possui especialização, inclusive, em Marketing Político e eleitoral. 

O policial em questão se diferencia sob outros aspectos. Quem o conhece sabe que ele nunca fez da missão que abraçou um muro de lamentações. Ao contrário, William é um dos mais bem humorados policiais que conheci. Mesmo sabendo que está entre os policiais mais mal pagos do Brasil, foi ao Palácio Anchieta receber uma homenagem, em claro respeito aos capixabas. O mesmo respeito já demonstrado em inúmeras ocorrências, em inúmeras operações. Revela, assim, uma consciência pública que poucos da vida pública são capazes de demonstrar. É inclusive incentivado a ser candidato a vereador na Serra, em 2020, ao que responde sempre com bom humor. A cidade ganharia muito na qualidade do debate público. Mas a PMES perderia um dos seus melhores quadros operacionais.

O policial que aparece à frente de outras três pessoas é do tipo que “perde o amigo, mas não perde a piada”. Mas sabe que para alguns ele também consegue ser piada!

Mas, além disso, William exemplifica a desconstrução de uma percepção equivocadamente consolidada em instituições de rígida hierarquia, aquela segundo a qual o saber se vincula ao nível hierárquico. Trata-se de uma ideia tão ultrapassada quanto o nosso próprio modelo policial.

A hierarquia do saber já foi posta em irônica discussão pelo poeta Drummond, cujo objetivo era mostrar que não existe hierarquia na construção poética. Disse o gigante, em seu famoso Política literária: 

O poeta municipal 
discute com o poeta estadual 
qual deles é capaz de bater o poeta federal.

Enquanto isso o poeta federal 
tira ouro do nariz

Sim. Volto ao mundo policial. A suposição do saber como derivação da posição hierárquica torna-se uma piada digna de um poema drummondiano. Quem já caminhou pela caserna certamente conheceu um soldado notável e um horroroso, um oficial exemplar e aquele que dispensa comentário. É assim em qualquer área. William está entre os notáveis. 

O policial que aparece na foto teria inúmeros depoimentos aqui de tantos que com ele já trabalharam. O resumo dos depoimentos vai nas palavras de um dos policiais com quem William muito aprendeu, o 1º Sgt Braga, que assim se referiu ao amigo:

Falar do meu amigo Willian é como falar do meu filho Calebe. Tenho grande apreço por este jovem, enorme admiração por sua atuação como policial, agradeço a DEUS pelo privilégio de ter ensinado a ele os primeiros passos na PMES, e notei sua coragem e disciplina no aprendizado. Hoje Willian é considerado uns dos melhores policias no que tange patrulhamento e tirocínio policial, suas ações e detenções falam por si só, tanto que neste semestre recebeu o prêmio de destaque operacional de toda PMES, entre outras premiações no Sexto Batalhão, onde atua no serviço de radiopatrulhamento. Estou feliz como um pai.

Enfim, aprendi que as palavras fazem sentido. A ausência delas também. Ao receber o prêmio, William disse, com sua sinceridade característica, que os homenageados são todos os policiais verdadeiramente dedicados, dos quais ele é apenas um.  Sim, percebe-se que nos últimos anos a PMES mudou. Mudou para melhor. Que a PMES ajude a promover mais e melhores mudanças! 

Parabéns, William!

Um policial multifacetado!

 

 

 

3 Comentários

  1. Angelica Rabello Pereira

    Excelente texto!!!Parabéns ao profissional pela postura exemplar e ao escritor, pela leveza das palavras..

  2. I enjoy what you guys are up too. Such clever work and coverage!
    Keep up the excellent works guys I’ve included you guys to my
    own blogroll.

Deixe uma resposta